"Acabe com a escurição" ( (やみ) () Yami wo Kiru) é o primeiro capítulo de Akame ga Kill!

Sumário

O capítulo inicia-se com uma narração sobre a podridão dO Império e, por fim, a organização de assassinato aparece.

No ano 1024, duas pessoas viajavam numa carruagem até que uma besta surge de dentro do chão: era um Dragão da Terra que ameaça atacá-los. Isso até que um garoto surge ao resgate, cortando um de seus braços. Falando com ela como se fosse entendê-lo, ele o cortou repetidas vezes até matá-la, tudo para a surpresa e espanto dos que observavam. Quando o elogiaram, se vangloriou de sua atitude e apresentou-se como Tatsumi, o nome que ficaria conhecido na capital.

Os dois entreolharam-se, para confusão do agora nomeado Tatsumi, que perguntou o que havia de errado. Um deles explicou como a capital não era o lugar dos sonhos que pensava, que as pessoas de lá eram monstros por dentro. Agradecendo o aviso, o garoto apenas respondeu que ele, ou melhor, eles não poderiam voltar atrás agora e fariam dinheiro na capital para salvarem sua vila, saindo em seguida.

Tatsumi chega na capital.

Ao chegar na capital, Tatsumi se anima ao ver as enormes instalações e imediatamente vai se alistar como soldado. Vendo, entretanto, que começaria como um soldado raso, ele tenta convencer o atendente a colocá-lo numa posição mais alta por demonstrar suas habilidades, mas é chutado por este, que grita que a recessão tornou o recrutamento mais difícil e havia um certo limite, para a surpresa dele. Quando a porta foi fechada, ele ficou pensando se deveria causar um tumulto e depois desfazê-lo para criar um nome, mas muda de ideia imediatamente.

Ele é abordado por uma garota que lhe ofereceu ajuda para ser recrutado, mas só diria se ele a levasse para almoçar. Estando agora num bar, Tatsumi observa-a se empaturrar em bebida e tentou ir direto ao ponto para saber como ser recrutado; ela disse que ele só precisaria de alguém para indicá-lo e dinheiro, alegando ter um contato no exercíto que poderia torná-lo oficial bem rápido se ele tivesse dinheiro.

Tatsumi descobre que foi enganado.

Tatsumi lhe entregou um saco de dinheiro e a garota disse ser mais do que suficiente. Recebendo sua resposta de que havia ganhado aquela quantia no caminho enquanto derrotava monstros, ela pegou o dinheiro e saiu, prometendo que voltaria logo pra lhe dar as boas novas. Tatsumi esperou e esperou por ela, mas ela nunca veio. Quando o bar estava fechando, ele recebeu a chocante notícia de que fora enganado e não adiantaria nada denunciá-la às autoridades.

Sem ter dinheiro sobrando, vagou pelas ruas da capital durante a noite; até fora incomodado por dois indivíduos, mas foi rápido em nocauteá-los. Após imaginar onde "eles" estariam, decidiu dormir onde estava e acomodou-se como podia. Uma garota que passava por perto numa carruagem parou-a e foi até ele, oferecendo estadia. Os dois guardas sugeriram que ele aceitasse a boa vontade de Aria, então Tatsumi finalmente cedeu.

Impressionado pelo tamanho da mansão, Tatsumi observou e agradeceu aos pais de Aria pela hospitalidade, ao que a própria Aria respondeu para que ele se sentisse em casa. Então, ele contou aos três sobre seus planos em entrar no exercíto imperial; o pai de Aria informou sobre como as áreas fora da capital não eram pacíficas como a capital era devido às diferentes espécies que rodeavam aquelas regiões, mas ele disse estar preparado para isso, o outro admirando seu espírito.

Aria pergunta se ele havia vindo de seu vilarejo sozinho, mas Tatsumi conta que tinha saído de lá com duas pessoas: Ieyasu e Sayo, seus dois amigos de infância. Antes de sair, o chefe lhe deu um totem e explicou que ele deveria mantê-lo com ele o tempo todo, assim, Deus o protegeria. Antes de chegarem na capital, porém, foram atacados por bandidos noturnos e se separaram, decidindo se encontrar na capital (embora duvidasse que Ieyasu conseguria chegar por conta própria por ser ruim com direções).

Depois de ouvir sua história, o pai de Aria prometeu que o recomendaria para o exercíto e descobrir o paradeiro de seus amigos, tudo para felicidade de Tatsumi. Ele se prontificou a ajudar sendo o guarda-costas de Aria, ficando Gaurry para cuidar dele; sendo assim, todos foram para a cama. Lá, ele agradeceu mentalmente por ter encontrado boas pessoas e desejou que Ieyasu e Sayo chegassem na capital a salvo.

No dia seguinte, Tatsumi se impressionou com o tamanho das compras de Aria e, ao Gaurry dizer que que todas as garotas eram assim, ficou confuso, pois Sayo sempre sabia o que vestir (justamente por não ter mais nada para vestir). Ele apresentou a ele o palácio, logo acima, e disse que, apesar de existir um imperador, ele só é controlado pelo primeiro ministro, apodrecendo o país, e aconselhou-o a não falar disso muito alto ou seria morto.

Também explicou sobre a Night Raid, um grupo de assassinos que miram em pessoas de alta classe e riqueza na capital e atacam durante a noite. Depois de pedir para que ele se prepara-se, apenas no caso de necessidade, pediu para ele ajudar com os outros guardas que carregavam uma enorme caixa.

Naquela mesma noite, porém, quando a mãe de Aria caminhava pelos corredores com um diário em mãos, rindo, mas demorou a perceber quando seu corpo foi dividido em dois por alguém que se desculpou por ter matado-a. Tatsumi acordou, alerta, e armando-se, saiu de seu quarto, correndo ao lembrar-se das palavrs de Gaurry sobre a facção assassina e, ao olhar para fora da janela, vê cinco pessoas olhando para ele. Repreendeu-os mentalmente por quererem matar aquela família apenas por serem ricos.

Um deles veio a falar para outra, nomeada como Akame, que os guarda-costas eram alvos. Ela desceu da teia junto de outro, na frente deles, um que avisou aos outros para não tocarem naquela espada, mas não demorou muito para serem mortos por ela. O terceiro tentou fugir, mas um tiro que veio de outra acertou-o, também matando-o. Ela o chamou de patético por fugir, mas o que permaneceu ali com ela apenas comentou como normalmente se fugiria de algo assim. Vendo tudo aquilo da janela, Tatsumi ficou surpreso por todos terem sido mortos em um instante e passou a correr numa tentativa de tentar proteger Aria deles.

Enquanto isso, outra já matava o pai de Aria, implorando para deixá-lo viver por ter uma filha. Ela, porém, apenas retruca que ele encontraria com ela em breve onde estaria indo. Perguntando se ela não havia piedade, ela alega não saber o que era aquilo, finalmente matando-o.

O último dos guarda-costas de Aria tentava levá-la a um lugar seguro. Quando Tatsumi chegou, ele disse para que ele segurasse os inimigos enquanto os dois estariam esperando os guardas dentro do armazém, para surpresa do outro. Akame rapidamente chegou ao local e, ao Tatsumi tentar enfrentá-la, ela simplesmente passa por ele por ele "não ser um alvo", desviando das balas do guarda-costa e matando-o rapidamente, chegando até Aria.

Tatsumi, entretanto, a impede de matá-la. Ela alega que ele não era um alvo, portanto, não havia necessidade de matá-lo, mas ele sabia que ela planejava matar Aria, ficando surpresa com a honestidade de Akame ao confirmar, informando que o mataria se ficasse no caminho. Ele não demonstra medo e se posiciona para lutar. A mesma garota de antes mostra-se um membro daquela facção e chega próximo ao tumulto, estranhando a demora de Akame e percebe que seu oponente era justamente o garoto que roubou no dia anterior, se perguntando quanto azar ele poderia conseguir.

Akame ataca Tatsumi.

Tatsumi sabia que não poderia derrotá-la, mas não poderia se preocupar com isso agora, e sim com Aria. Ambos avançaram um contra o outro e lutaram brevemente. Akame consegue subjugá-lo e, assim, atingi-lo com sua espada; ela não baixa sua guarda por não ter sentido carne e ele mostrou ter sido protegido pelo mesmo totem que recebeu do chefe de sua vila. Akame novamente avançou contra ele e ignorou todas as suas palavras. Estando prestes a atacá-lo outra vez, fora parado pela outra garota que observava e disse que devia um favor àquele garoto.

Tatsumi rapidamente a reconheceu e, descontraída, confirmou que era a garota que tinha o roubado anteriormente. Ficando mais séria, ela chutou a porta do tal armazém e mostrou a Tatsumi a podridão daquela família e, claro, de Aria, que ela não era nem um pouco inocente nesse caso. Ela explicou como eles atraiam pessoas desconhecidas do interior e os implementavam em seu passatempo de torturar e brincar com elas até morrerem. Ele reconheceu o corpo de Sayo no meio de muitos outros corpos.

Aria tentou fugir, mas foi pega novamente pela garota. Ela confirmou ter sido culpa dos senhores da casa e Aria insistiu que era mentira, tentando fazê-lo acreditar nela, e não na Night Raid. Permaneceu em silêncio até que Tatsumi ouviu a voz de alguém que ele conhecia: Ieyasu, que estava atrás de uma cela, parecendo devastado e muito doente, contou toda a história sobre como aquela garota, Aria, torturou Sayo até a morte.

Tatsumi mata Aria.

Aria, entretanto, não via nada de errado em tratar "gado" daquela forma, demonstrado ter tido inveja do cabelo de Sayo e que ela deveria tê-la agradecido por ter cuidado bem dela. A outra garota pediu desculpas a Akame por tê-la impedido, mas Tatsumi as para. Para a surpresa das duas, ele a mata em um único golpe. Ieyasu fica feliz de ter visto aquilo acontecer, mas fica muito mal; Akame explica que a senhora da casa gostava de drogar suas vítimas e anotar seus sintomas em seu diário. Ele estava no último estágio da doença de Lubora, não poderia ser salvo. Tatsumi foi obrigado a ver seu amigo morrer em seus braços.

Quando Akame decide ir embora, a outra sugere levá-lo com eles. Ela o pegou pelo colarinho e foi arrastando-o contra sua vontade, enquanto comentava que ele tinha a sorte e habilidades necessárias para fazer parte do grupo, prometendo trazer os corpos de Ieyasu e Sayo para que ele fizesse seus túmulos. Chegando ao local onde os outros membros estavam, a mesma que atirou em um dos guarda-costas mais cedo reclamou com as duas por terem demorado para voltar e pergunta o que a outra estava fazendo com Tatsumi nos braços, sendo recebida com a resposta de que ele era um deles agora, tudo para confusão e surpresa do outro.

Perguntando o que era aquilo, Akame aconselhou-o a desistir pois ela, nomeada agora como Leone, não escuta ninguém depois que decide o que fazer, algo que ela concorda. Leone mnda que o de armadura, nomeado como Bulat, tomasse conta dele e ele tenta tranquilizá-lo ao dizer que tudo ficaria bem, mas não deu certo. Akame finalizou a missão e todos recuaram. Tatsumi se pergunta o que aconteceria com ele dali para frente.

Referências Rápidas

Notas do Capítulos

  • Este é o primeiro capítulo de Akame ga Kill!
  • Ieyasu e Sayo, os amigos de Tatsumi, estão mortos.
  • Tatsumi percebe que a capital está totalmente corrupta e cheia de pessoas ruins.
  • Tatsumi se une à Night Raid (embora involutariamente).

Personagens por Aparição

Curiosidades

  • Este capítulo é disponibilizado de forma gratuita no site oficial em japonês do mangá de Akame ga Kill! como uma prévia para quem estiver considerando em comprar o volume completo. Ele pode ser lido aqui.


Navegação

Capítulos
Akame ga Kill!
Volume 1 1
Artigos Relacionados Capítulos e Volumes
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.